Autoconhecimento

O que é autoconhecimento?

Autoconhecimento, segundo o Dicionário Online de Português – Dicio, é o “conhecimento de si próprio, das suas características, qualidades, imperfeições, sentimentos etc; que caracterizam o indivíduo por si próprio”.

É curioso dizer que uma pessoa pode não se conhecer, verdadeiramente, mas é a realidade da maioria de nós. É claro que conhecemos nossa história, mais do que qualquer um; que sabemos nosso nome, o local onde vivemos, o que fazemos, nossos gostos e vontades, qualidades e defeitos evidentes. Mas, de fato, formamos um conceito sobre nós mesmos que, nem sempre, é 100% real.

A Revista Galileu, do portal Globo.com, publicou um artigo em 2014, citando uma pesquisa, realizada por Kathryn Patricia Cross, em que aponta que 80% das pessoas se consideram “acima da média”, o que seria uma impossibilidade estatística. A autora define esse fenômeno como “autossatisfação presunçosa”.  No mesmo artigo, a revista aponta matéria publicada em 2011, pelo Journal of Experimental Social Psychology, destacando que “as pessoas avaliam as próprias qualidades pelo pico e as qualidades dos outros pela média.”.

Essas e outras pesquisas atestam que a maioria de nós não percebe a própria realidade como ela, realmente, é.

Autoconhecimento implica em identificar e reconhecer nossas qualidades, nossas capacidades, bem como nossas limitações e fraquezas. É entender de que forma percebemos a vida, o mundo e as pessoas que nos cercam. É notar como reagimos a cada estímulo e como agimos em nosso dia-a-dia. É saber e sentir porque fazemos o que fazemos, porque fazemos como fazemos e porque fazemos quando fazemos. É tomar consciência de nossos desejos, é repensar nossas atitudes, é reconhecer nossas emoções negativas e de que forma elas impactam em nossas atitudes e, consequentemente, em nossos resultados.

Qual a importância do autoconhecimento?

Muitas de nossas características e capacidades não são percebidas por nós. Os resultados que obtemos são, muitas vezes, atribuídos a fatores externos, como a sorte ou a falta dela. Culpamos os outros pelo que não conseguimos, pelo que não realizamos, mas não notamos os recursos que nos faltam. E quando falta autoconhecimento, sobra vitimização.  Você torna-se o passageiro da sua própria vida, ao invés de ser o comandante.

Quer alguns exemplos?

Se os seus filhos não o respeitam, não é por que são malcriados; mas porque foram mal criados por você! Já pensou nisso? Talvez lhe faltem conhecimentos e habilidades para ensiná-los.

Se as pessoas não lhe compreendem, talvez lhe faltem habilidades de comunicação. E isso, você pode desenvolver.

Você sente que está andando em círculos na vida? Que não chega a lugar algum? Talvez seus objetivos não estejam claros; ou talvez faltem recursos como conhecimentos, habilidades e competências para realizá-los.

Talvez esses exemplos pareçam banais para você. Talvez não façam parte da sua realidade. Mas estou certo de que há muito em você que ainda não conhece, não percebe, não identifica e que, se bem trabalhado, elevará sua capacidade de estabelecer objetivos e alcançá-los, sentindo-se pleno em sua caminhada.

Cada um de nós faz o melhor que pode, com os recursos que tem. Mas, acreditando que se alguém pode fazer alguma coisa, você também pode, concluímos que, para que o seus resultados sejam melhores, você deve desenvolver os recursos que lhe faltam. E aí está a importância do autoconhecimento. Como você poderia aperfeiçoar-se, adquirir novos conhecimentos, novas habilidades, novas competências, se não sabe, exatamente, quais já tem e quais você pode e precisa melhorar?

Uma frase bastante conhecida na filosofia, de autor desconhecido, já atribuída a filósofos como Platão, Tales de Mileto e Sócrates, destaca a importância do autoconhecimento:

“CONHECE-TE A TI MESMO E CONHECERÁS TODO O UNIVERSO E OS DEUSES, PORQUE SE O QUE PROCURAS NÃO ACHARES PRIMEIRO DENTRO DE TI MESMO, NÃO ACHARÁS EM LUGAR ALGUM” (frase tirada do templo de Delfos, na Grécia  – em honra à Apollo, o Deus do Sol, da beleza e da harmonia)

Engana-se aquele que pensa que autoconhecimento é filosofia barata ou apenas mais um conceito de autoajuda. Aliás, o termo autoajuda tem sido utilizado de forma pejorativa por muitos “céticos de plantão”, incapazes de reconhecer suas inabilidades, suas incapacidades e, no alto de sua autossatisfação presunçosa, acreditam que não têm o que melhorar e não reconhecem o valor daqueles que buscam, continuamente, sua evolução.

A importância do autoconhecimento está no sentimento de clareza quanto àquilo que nos preenche, que dá sentido à nossa vida, que nos satisfaz ao longo da caminhada, que nos faz felizes e realizados; na clareza dos nossos propósitos, dos nossos valores, dos nossos sonhos, objetivos e metas.

Como disse Pablo de Paula Bravin, em artigo publicado em 2014 no site www.administradores.com.br, “o problema não é ter um amontoado de defeitos e sim ter medo de olhar para dentro de si e descobri-los.”.

A importância do autoconhecimento está na força, na segurança e na coragem que proporciona, na capacidade que lhe confere de acreditar que é possível alcançar seus objetivos e que VOCÊ é o único responsável pelo sucesso da sua vida pessoal e profissional.

Invista em você. Seja protagonista da sua vida!

***************

Leia também: Motivação

***************

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson

Curta a página Mindset Frasson no Facebook

Curta e acompanhe o canal Mindset Frasson no Youtube

Autoconhecimento, segundo o Dicionário Online de Português – Dicio, é o “conhecimento de si próprio, das suas características, qualidades, imperfeições, sentimentos etc; que caracterizam o indivíduo por si próprio”.

É curioso dizer que uma pessoa pode não se conhecer, verdadeiramente, mas é a realidade da maioria de nós. É claro que conhecemos nossa história, mais do que qualquer um; que sabemos nosso nome, o local onde vivemos, o que fazemos, nossos gostos e vontades, qualidades e defeitos evidentes. Mas, de fato, formamos um conceito sobre nós mesmos que, nem sempre, é 100% real.

A Revista Galileu, do portal Globo.com, publicou um artigo em 2014, citando uma pesquisa, realizada por Kathryn Patricia Cross, em que aponta que 80% das pessoas se consideram “acima da média”, o que seria uma impossibilidade estatística. A autora define esse fenômeno como “autossatisfação presunçosa”.  No mesmo artigo, a revista aponta matéria publicada em 2011, pelo Journal of Experimental Social Psychology, destacando que “as pessoas avaliam as próprias qualidades pelo pico e as qualidades dos outros pela média.”.

Essas e outras pesquisas atestam que a maioria de nós não percebe a própria realidade como ela, realmente, é.

Autoconhecimento implica em identificar e reconhecer nossas qualidades, nossas capacidades, bem como nossas limitações e fraquezas. É entender de que forma percebemos a vida, o mundo e as pessoas que nos cercam. É notar como reagimos a cada estímulo e como agimos em nosso dia-a-dia. É saber e sentir porque fazemos o que fazemos, porque fazemos como fazemos e porque fazemos quando fazemos. É tomar consciência de nossos desejos, é repensar nossas atitudes, é reconhecer nossas emoções negativas e de que forma elas impactam em nossas atitudes e, consequentemente, em nossos resultados.

Qual a importância do autoconhecimento?

Muitas de nossas características e capacidades não são percebidas por nós. Os resultados que obtemos são, muitas vezes, atribuídos a fatores externos, como a sorte ou a falta dela. Culpamos os outros pelo que não conseguimos, pelo que não realizamos, mas não notamos os recursos que nos faltam. E quando falta autoconhecimento, sobra vitimização.  Você torna-se o passageiro da sua própria vida, ao invés de ser o comandante.

Quer alguns exemplos?

Se os seus filhos não o respeitam, não é por que são malcriados; mas porque foram mal criados por você! Já pensou nisso? Talvez lhe faltem conhecimentos e habilidades para ensiná-los.

Se as pessoas não lhe compreendem, talvez lhe faltem habilidades de comunicação. E isso, você pode desenvolver.

Você sente que está andando em círculos na vida? Que não chega a lugar algum? Talvez seus objetivos não estejam claros; ou talvez faltem recursos como conhecimentos, habilidades e competências para realizá-los.

Talvez esses exemplos pareçam banais para você. Talvez não façam parte da sua realidade. Mas estou certo de que há muito em você que ainda não conhece, não percebe, não identifica e que, se bem trabalhado, elevará sua capacidade de estabelecer objetivos e alcançá-los, sentindo-se pleno em sua caminhada.

Cada um de nós faz o melhor que pode, com os recursos que tem. Mas, acreditando que se alguém pode fazer alguma coisa, você também pode, concluímos que, para que o seus resultados sejam melhores, você deve desenvolver os recursos que lhe faltam. E aí está a importância do autoconhecimento. Como você poderia aperfeiçoar-se, adquirir novos conhecimentos, novas habilidades, novas competências, se não sabe, exatamente, quais já tem e quais você pode e precisa melhorar?

Uma frase bastante conhecida na filosofia, de autor desconhecido, já atribuída a filósofos como Platão, Tales de Mileto e Sócrates, destaca a importância do autoconhecimento:

“CONHECE-TE A TI MESMO E CONHECERÁS TODO O UNIVERSO E OS DEUSES, PORQUE SE O QUE PROCURAS NÃO ACHARES PRIMEIRO DENTRO DE TI MESMO, NÃO ACHARÁS EM LUGAR ALGUM” (frase tirada do tempo de Delfos, na Grécia  – em honra à Apollo, o Deus do Sol, da beleza e da harmonia)

Engana-se aquele que pensa que autoconhecimento é filosofia barata ou apenas mais um conceito de autoajuda. Aliás, o termo autoajuda tem sido utilizado de forma pejorativa por muitos “céticos de plantão”, incapazes de reconhecer suas inabilidades, suas incapacidades e, no alto de sua autossatisfação presunçosa, acreditam que não têm o que melhorar e não reconhecem o valor daqueles que buscam, continuamente, sua evolução.

A importância do autoconhecimento está no sentimento de clareza quanto àquilo que nos preenche, que dá sentido à nossa vida, que nos satisfaz ao longo da caminhada, que nos faz felizes e realizados; na clareza dos nossos propósitos, dos nossos valores, dos nossos sonhos, objetivos e metas.

Como disse Pablo de Paula Bravin, em artigo publicado em 2014 no site www.administradores.com.br, “o problema não é ter um amontoado de defeitos e sim ter medo de olhar para dentro de si e descobri-los.”.

A importância do autoconhecimento está na força, na segurança e na coragem que proporciona, na capacidade que lhe confere de acreditar que é possível alcançar seus objetivos e que VOCÊ é o único responsável pelo sucesso da sua vida pessoal e profissional.

Invista em você. Seja protagonista da sua vida!

***************

Leia também: Motivação

***************

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson

Curta a página Mindset Frasson no Facebook

Curta e acompanhe o canal Mindset Frasson no Youtube

8 respostas para “Autoconhecimento”

  1. Meditar ajuda muito !!
    Parabéns
    Não sei porque não consigo compartilha o teu artigo, algum problema no redirecionamento…
    Abraço

    1. O compartilhamento no facebook está bloqueado. Já entrei em contato com o suporte do Facebook, mas não obtive resposta. No whatsapp tem funcionado perfeitamente.

    1. Vanessa, tenho experimentado a sensação de plenitude em diversos momentos, desde que passei a me dedicar a essa busca contínua pela evolução. Tropeços acontecem, todos os dias. O importante é estar em estado de alerta, detectando os escorregões, e retomando a caminhada rumo aos sonhos. Parabéns pela decisão de lutar por si mesma!

Deixe uma resposta