Uma breve reflexão sobre a FELICIDADE

O que te faz feliz?

Você já parou para pensar sobre o que te faz feliz? Já reparou que a busca pela felicidade é a razão de tudo o que fazemos?

É claro que o conceito de felicidade, aquilo que faz cada um de nós sentir-se bem, varia de pessoa para pessoa. Mas, de um modo geral, todo ser humano tem uma série de necessidades em comum, e passa a vida buscando atendê-las, consciente ou inconscientemente.

Stephen Covey, autor dos livros “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” e “O 8º hábito: da eficácia à grandeza”, dizia que uma das 4 principais necessidades do ser humano é a sobrevivência, afastar-se dos perigos, alimentar-se, cuidar do corpo, sentir-se saudável.  Para Abraham Maslow, psicólogo americano, autor da famosa “Teoria das Necessidades de Maslow”, essas necessidades fisiológicas e de segurança são as mais primitivas necessidades do homem. E, por uma razão óbvia, as demais coisas terão pouca importância, até que essas necessidades sejam atendidas.

É difícil imaginar que alguém consiga ser feliz passando fome ou tendo sua vida ameaçada, por exemplo.

A partir do momento em que nossas necessidades básicas estão supridas, nossa natureza se volta para outras questões “mais elevadas”.

Para Covey, compartilhamos ainda a necessidade de nos relacionarmos com outras pessoas, de aprender e entender o mundo à nossa volta, e de deixar um legado (sermos lembrados por nossas contribuições).

Para Maslow, as necessidades secundárias do homem são associação (relacionamentos), estima (autoestima e respeito) e autorrealização.

Não tenho a intenção aqui, hoje, de aprofundar conceitos sobre essas teorias. Apenas reforço que todos nós, embora diferentes, temos necessidades comuns. Necessidade de nos sentirmos bem fisicamente, emocionalmente, mentalmente e de nos relacionarmos com as outras pessoas. Costumo dizer que todos nós queremos ser bem vistos, bem quistos e bem lembrados.

A felicidade, embora conceituada de modo diferente por cada um de nós, está relacionada à satisfação de necessidades (das mais primitivas, às mais elevadas), à sucessão de momentos de alegria, satisfação, prazer, bem-estar, euforia, tranquilidade e realização.

Seja você um monge ou um “mega” investidor, um andarilho ou um alto executivo, um filantropo ou um acumulador, um missionário ou um empreendedor, um empresário ou um trabalhador informal, seu maior propósito é ser feliz, mesmo que você não pense nisso.

Essa reflexão sobre felicidade pode parecer estranha. Mas a base para tudo o que você alcança e realiza em sua vida está na busca por seus propósitos. É ela que gera energia para que você levante da cama todos os dias, e não a obrigação de chegar ao trabalho às 8h da manhã; que gera energia para que você tenha uma performance excelente e resultados extraordinários naquilo que faz; que faz você ter vontade de viver, de crescer, de melhorar, de realizar.

Descubra o que te faz feliz e ali estará a sua motivação, o seu motivo para a ação.

Como eu já disse, essa reflexão pode parecer estranha, mas grande parte das pessoas não saberia responder a essas perguntas: o que te faz feliz? O que te move? O que te motiva? Qual o seu propósito?

Lembre-se da famosa frase de Lewis Carrol, autor de “Alice no país das maravilhas”:

Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”.

Se você busca uma vida que te preencha, uma vida com mais significado, com mais plenitude, com mais felicidade, invista no autoconhecimento. Será a melhor e mais proveitosa viagem da sua vida!

Clique aqui e veja também:

Autoconhecimento

Life Coaching ou Coaching de Vida

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson

contato Fabio Frasson

curta a página @mindsetfrasson no Facebook

facebook @mindsetfrasson

Assine o canal mindsetfrasson no Youtube

youtube mindsetfrasson

Evoluir exige Caráter

O que você entende por caráter? Qual a importância desse tema na busca pelo desenvolvimento pessoal e profissional?

Quando a mente se abre à possibilidade de evolução, todo questionamento é uma grande oportunidade de agregar novas percepções e aprendizados.

A capacidade de identificar, refletir e compreender os mais diversos fatores que influenciam a forma de pensar, sentir e agir do ser humano é essencial para a nossa evolução, tanto no âmbito pessoal, quanto profissional.

Se você é um líder, essa capacidade é inerente ao seu papel.

Neste artigo, compartilho com vocês uma reflexão proposta pelo facilitador de um curso de liderança, do qual estou participando.

O Caráter é mutável ou imutável?

Dizer se o caráter é mutável ou imutável é uma questão de caráter não definitivo e não conclusivo, tendo em vista as divergências, historicamente encontradas, sobre o conceito ou a definição do termo caráter.

Seja no campo linguístico, seja no âmbito da psicologia, não há consenso sobre o uso da palavra.

Este substantivo masculino, originário do latim character e do grego kharaktér, é explicado de modo diferente em cada fonte pesquisada.
Vejamos as definições de 3 dicionários:

  • “caracterização do próprio sujeito; índole, temperamento, personalidade. Formação moral; honestidade.” _ Dicionário Online de Português
  •  “o que faz com que os entes ou objetos se distingam entre os outros da sua espécie”, “qualidade distintiva”, “dignidade”. _ Priberam Dicionário
  • “qualidade que é inerente a um indivíduo”, “conjunto de traços distintivos de uma pessoa”, “conjunto de traços psicológicos e morais que caracterizam um indivíduo”, “modo de ser, ou de se comportar, próprio de um indivíduo; temperamento”, “sentido ético”. _ Michaellis – dicionário brasileiro da língua portuguesa.

As definições acima apontam para características próprias de um indivíduo, algo que o difere dos demais. Fazem menção a atributos ligados ao comportamento, à forma de agir. Relacionam o termo caráter como sinônimo de personalidade e temperamento.

Como “qualidade distintiva”, “caracterização do sujeito”, “inerente ao indivíduo”, caráter é definido como algo intrínseco, inseparável e, portanto, IMUTÁVEL.

A Enciclopédia Livre Wikipédia afirma que o termo caráter é utilizado pela psicologia como “sinônimo de personalidade”, e pelo senso comum como “traços morais da personalidade”. Contesta a tese de muitas pessoas de que estaria ligado à genética. Tese mais próxima da do filósofo francês René Le Senne (1882-1954), que propunha que o caráter “é um conjunto de disposições congênitas”, já a personalidade “é um conjunto de elementos adquiridos ao longo da vida”.
Ainda de acordo com a Wikipédia, para a psicologia, o caráter é um “aspecto da personalidade”, “inerente à pessoa”, um “conjunto de traços particulares”, a “índole”, e “não pode ser adquirido ou aprendido”. É, portanto, IMUTÁVEL.

O Dicionário Informal traz diversas definições, propostas por pessoas diferentes. Seu slogan já diz: “o dicionário onde o português é definido por você!”. Um site informal, onde pessoas comuns apontam sua compreensão sobre os termos. Eis alguns conceitos encontrados: caráter é “peculiar a cada indivíduo”, “inerente à pessoa”, “um conjunto de traços particulares”, “sua índole, sua natureza e temperamento”, um conjunto de “traços psicológicos” e “retidão moral”. Apenas uma menção ao termo caráter o coloca como algo que “pode ser desenvolvido desde pequeno”. Para os demais, o conceito é de que caráter é algo IMUTÁVEL.

O site Significados define caráter como “um conjunto de características e traços relativo à maneira de agir e de reagir de um indivíduo ou de um grupo. É um feitio moral. É a firmeza e coerência de atitudes”. Sua explicação não deixa clara a questão do caráter mutável ou imutável do caráter de um indivíduo. No entanto, ao apontar para o comportamento, para a forma de agir, para ações e procedimentos, associa o termo a características variáveis, portanto MUTÁVEL.

Já o site Significados BR afirma que, para a psicologia, caráter “é a definição da personalidade de uma pessoa”, a “junção dos seus traços comportamentais”, também chamado de “índole, temperamento ou natureza de uma pessoa”, e que “não pode ser alterado, adquirido ou aprendido”, “é inerente à pessoa, não moldado durante a criação”. Portanto, IMUTÁVEL.

É importante ressaltar que o mesmo site informa que, do ponto de vista da biologia, caráter é uma característica que adquirimos com nossos genes, mas nem todas são hereditárias. Algumas podem ser modificadas ou adquiridas a partir da interação do indivíduo com o ambiente. Portanto, possivelmente MUTÁVEL.

Para Taiz de Souza, do site Psiconlinews , temperamento, caráter e personalidade não são sinônimos. Temperamento estaria ligado à “dimensão biológica e instintiva da personalidade”, determinado pela “herança genética”. O caráter “é o componente aprendido da personalidade”, fruto das experiências que modulam nossas tendências temperamentais. É “a parte da nossa natureza que é determinada pelo ambiente”. A personalidade seria a soma da biologia com o ambiente. Sendo assim, se o caráter está ligado às experiências e ao ambiente, é MUTÁVEL.

Para Frederico Rochaferreira, do SiteFilosofico: reflexões filosóficas e exame crítico, “O CARÁTER É IMUTÁVEL”.

Para o site A mente é maravilhosa (uma revista digital de psicologia, neurociência, desenvolvimento pessoal, cultura e bem-estar), temperamento e caráter são dimensões da personalidade. O temperamento é a “parte inata”, determinada pela “herança genética”. É a “dimensão biológica e instintiva da personalidade”. O temperamento “dificilmente pode ser modificado, manipulado ou trocado pelas circunstâncias”. O caráter é reflexo das nossas experiências, e engloba tanto a constituição hereditária (temperamento), quanto os hábitos aprendidos. Já a personalidade é a soma do caráter e do comportamento. O caráter, portanto, é MUTÁVEL.

Diante das controvérsias encontradas na comparação dos conceitos apresentados pelas fontes acima, foi lançado um desafio a um grupo de pessoas, com o intuito de identificar sua percepção sobre o termo caráter como algo mutável ou imutável.

Dentre os participantes da pesquisa, 15 acreditam que o caráter seja uma característica MUTÁVEL do indivíduo, ligada ao senso moral e ao comportamento, e 1 entende que seja a essência do indivíduo e, portanto, IMUTÁVEL, apesar deste mesmo indivíduo sofrer a influência do meio e, por consequência, ter atitudes diferentes de sua essência, do seu caráter.

Entendo que as palavras podem ter significados específicos, de acordo com sua etimologia. No entanto, suas definições dependem da compreensão das pessoas sobre ela, influenciadas pelo meio em que estão inseridas, pelo contexto em que são utilizadas e pela própria bagagem cultural. Desta forma, ao longo do tempo, um mesmo termo assume diversas definições, sendo utilizados como sinônimos de diversas outras palavras. Assim é, também, com o termo caráter. Afinal, existem os registros históricos sobre o assunto que datam da Grécia Antiga. E, desde então, não há consenso sobre a questão.
Meu entendimento sobre caráter acompanha o que foi apontado pela revista digital A mente maravilhosa. Vejo caráter como um traço MUTÁVEL da personalidade do indivíduo, composto por suas características inatas, adquiridas geneticamente, e pelas experiências e aprendizados, que moldam sua percepção e seu comportamento e, portanto, sua personalidade.

 

Clique aqui e veja também:

Autorresponsabilidade

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson

contato Fabio Frasson

curta a página @mindsetfrasson no Facebook

facebook @mindsetfrasson

Assine o canal mindsetfrasson no Youtube

youtube mindsetfrasson