Networking

A importância do networking para a sua carreira

Como tudo na vida, a construção de uma carreira de sucesso depende de muitos fatores, objetivos e subjetivos, a começar pela própria definição de sucesso, que está relacionada com a realização dos objetivos de cada um.

É claro que é preciso ter conhecimentos e habilidades inerentes à profissão. Afinal, nada substitui a competência, quando o assunto é carreira.

No entanto, não subestime a importância do networking para a sua carreira.

 O que é Networking?

Networking é a construção de relacionamentos, o desenvolvimento de uma rede de contatos, com interesses vinculados, que potencializa os resultados almejados.

Fazer networking é fazer conexões, é ampliar sua capacidade de interagir com pessoas com interesses profissionais congruentes aos seus, é aumentar seu poder de influência por meio de relações profissionais de contribuição mútua.

“Networking é construir uma rede de contatos profissional para trocar experiências e informações e potencializar oportunidades através de relacionamentos”. _ Glen Hudson (analista de Sucesso do Cliente)

 A construção natural do Networking

Aristóteles já dizia que o homem é um ser político, social, carente e imperfeito, que necessita de coisas e dos outros, seja por causas naturais, de desenvolvimento humano, seja por questões materiais ou formais.

A interação entre as pessoas ocorre, portanto, de forma natural, ou seja, como consequência da nossa natureza. Não sabemos viver sozinhos. E isso não seria diferente no campo profissional.

Quando tratamos de carreira, estamos falando de uma trajetória profissional, de uma caminhada, construída “passo a passo”. Nossos conhecimentos, habilidades, percepções e competências são adquiridos e transformados, continuamente, seja com base em nossas próprias experiências, seja pela interação com o outro.

Vale ressaltar que todas as informações que adquirimos, assimilamos e masterizamos, transformam-se em conhecimentos. E, na medida em que aprendemos coisas novas, observamos ou experimentamos novas situações, modificam-se nossas percepções e entendimentos sobre tudo o que existe. É desta forma que evoluímos, tanto na esfera pessoal, quanto profissional.

E grande parte do que aprendemos é fruto das nossas relações humanas, fruto da soma dos conhecimentos, das capacidades e das potencialidades. Contribuímos, uns com os outros, o tempo todo, mesmo quando não estamos conscientes disso.

Enxergar sua carreira como uma trajetória a ser construída destaca a importância da construção de relações de valor. Quando você atende bem um cliente, por exemplo, gera valor percebido por ele, pelas pessoas que estavam presentes, pelos seus colegas de trabalho e pelo seu chefe. Qualquer uma dessas pessoas pode abrir portas para você, no futuro. Você pode ser contratado pelo seu cliente ou indicado por ele para trabalhar na empresa de um amigo; pode ser contratado por um ex-colega de trabalho; você pode tornar-se empresário, no futuro, e realizar bons negócios com essas pessoas, que viram valor em você. Tudo tem consequências!

Muitas oportunidades de negócios, empregos, promoções e treinamentos surgem dos relacionamentos bem construídos.

Networking é contribuição

Estamos mais habituados ao termo networking no sentido de uma série de atitudes deliberadas, com o intuito de firmar relações estratégicas para a recolocação ou a ascensão profissional. Ou seja, a busca de novos empregos, promoções ou novos negócios.

Visto desta forma, o conceito de networking pode soar antiético, desonesto e forçado; a construção de relações mentirosas e interesseiras.

No entanto, no estágio atual de desenvolvimento da sociedade e dos mercados, já não há espaço para relações unilaterais. Apenas uma relação que gere valor para ambas as partes consegue sustentar-se no longo prazo, gerando resultados consistentes.

Ou seja, se você almeja construir uma carreira de sucesso, deve considerar o networking uma atividade de reciprocidade, tendo a ciência de que é preciso contribuir com o outro para que a consequência seja o benefício mútuo.

Não há nada errado em relacionar-se com pessoas que possam contribuir com seu crescimento. Na verdade, toda interação pressupõe uma troca, toda relação é baseada em interesses, sejam materiais, sociais ou emocionais.

Sei que nada seiLembre-se que toda pessoa, por mais experiente que seja, ainda tem muito a aprender. Compartilhe seus conhecimentos!

 

No mundo dos negócios não faltam exemplos de relações, sabidamente construídas por interesse nos resultados, e que muito tem contribuído para todos os envolvidos. É o caso dos diversos grupos de mastermind que temos visto emergir no mundo dos negócios e do desenvolvimento humano.

Quando você toma consciência de que os seus resultados são a consequência natural do seu comportamento, que o que você colhe depende do que foi semeado, e que a colheita ocorre somente depois da maturação do que foi plantado, a preocupação volta-se para a geração de valor, ou seja, para a contribuição. O resto, é consequência.

A força do Networking profissional

Há algum tempo, aqueles que ostentavam diplomas universitários na parede da sala estavam a meio caminho do sucesso profissional. Hoje, com o crescimento exponencial da concorrência em todos os mercados e profissões, bem como a ampliação do número de vagas nas universidades, a conclusão de um curso de ensino superior já não é fator de diferenciação.  É preciso renovar e ampliar conhecimentos, habilidades e competências, de forma contínua, e contar com uma forte rede de contatos, relacionar-se com pessoas que enxerguem valor em você, que abram portas, que respaldem o que o seu currículo estampa, que acreditem em sua capacidade e participem da sua trajetória profissional.

A cada dia, o networking ganha mais força como fator de contratação. Como diz Max Gehringer, administrador de empresas e palestrante, um bom currículo e experiência são fundamentais para colocar um candidato (em uma seleção de emprego) à frente da fila, na porta da empresa. No entanto, é a construção de um bom networking que pode colocá-lo para dentro. Conhecer as pessoas certas e demonstrar a elas o seu valor pode fazer toda a diferença.

Aliás, a contratação de um profissional é um momento de grande incerteza para as empresas, mesmo com tantas ferramentas de análise de perfil comportamental, fatores motivacionais e conhecimentos específicos. Ter o respaldo de outros profissionais, que conheçam os valores não impressos no currículo ou não identificados nos testes, é de grande valia. Por isso, as indicações tem tanto peso nas contratações. Sendo assim, quanto maior for a sua capacidade de networking, maiores serão suas oportunidades.

Networking é uma ferramenta de marketing pessoal

Fazer networking é conhecer as pessoas certas!

Fazer networking é, acima de tudo, construir e fortalecer relacionamentos.

Mas lembre-se: O que realmente importa não é a quantidade de pessoas que você conhece, mas a qualidade das relações que você constrói com as pessoas que conhecem você.

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

 

 

Clique aqui e veja também:

O que é sucesso?

Grupo de Whatsapp Mindset Frasson

 

Fabio Frasson

contatos Fabio Frasson

Curta a página @mindsetfrasson no Facebook

@mindsetfrasson

Assine e acompanhe o canal mindsetfrasson no Youtube

Mindset Frasson

Eficácia, realização pessoal e contribuição

Quem é você? qual a sua essência? o que diz a sua voz interior? qual a sua contribuição para as outras pessoas? Perguntas como essas constituem um novo hábito, uma nova atitude mental , um novo mindset, fruto das transformações pelas quais as relações humanas tem passado, especialmente nas últimas décadas.

Em 1989, Stephen Covey lançou o best-seller Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, abordando comportamentos permeados de princípios corretos, essenciais para alcançar a eficácia na vida pessoal e profissional.  O livro vendeu cerca de 20 milhões de cópias, em 38 idiomas, e foi considerado pelas revistas Times e Forbes como uma das publicações mais influentes da área de administração, e pelos leitores da revista Chief Executive como o livro mais influenciador do século XX.

Já em 2005, imerso à era do trabalhador do conhecimento, o autor concluiu que os desafios do novo tempo são tão complexos, que alcançar a eficácia já não é suficiente.

“Eficácia é fazer as coisas certas” _ Peter Drucker

Na busca contínua pela maximização dos recursos, pela melhoria da capacidade e da qualidade de produção, pela participação no mercado, cada vez mais concorrido, o homem entrou na era da informação e do conhecimento. O mercado tornou-se global, a informação viaja de um lado ao outro do planeta em frações de segundo, estamos “multiconectados”. O ritmo de trabalho tornou-se cada vez mais intenso. As expectativas, as cobranças, as comparações, a busca por um espaço no mercado e na sociedade produzem conflitos internos em grande parte das pessoas. Muitas sentem-se frustradas, desanimadas, desmotivadas, estagnadas ou incapazes de corresponder ao que se espera delas. Alimentam o desejo de realização pessoal e profissional, mas não conseguem realizar.

Note que todos nós desejamos “fazer a diferença”, sermos importantes, sermos bem vistos, bem quistos e bem lembrados, termos uma vida de grandeza, mesmo na simplicidade. Um grande exemplo foi Madre Tereza de Calcutá, que dedicou sua vida pelo propósito grandioso de contribuição, de cuidar de pessoas pobres e doentes.

Para ter uma vida de grandeza é preciso viver intensamente. É preciso que cada um encontre a sua voz interior. Isso significa descobrir-se, encontrar sua relevância, sua realização, compreender sua verdadeira natureza, os seus valores, seus propósitos, descobrir e desenvolver os seus dons.

Segundo Stephen Covey, dons são capacidades latentes com as quais nascemos e que podem ser desenvolvidas a partir do nosso esforço e dedicação. Dentre esses dons, destacam-se: a liberdade ou a capacidade de escolha; os princípios universais, como o senso de justiça, bondade, respeito, sinceridade e integridade; e a inteligência, subdividida em inteligência mental, física, emocional e espiritual.

Cada uma dessas inteligências está relacionada a uma das 4 partes da natureza humana (mente, corpo, coração e espírito), que representam 4 motivações ou necessidades básicas que todos nós temos: : (1) sobrevivência, (2) relacionamentos, (3) aprendizado e (4) deixar um legado.

Inteligência mental: é a capacidade de analisar, raciocinar, visualizar e compreender.

Inteligência física ou corporal: é o funcionamento quase involuntário, inconsciente e disciplinado do corpo.

Inteligência emocional: corresponde ao autoconhecimento, autoconsciência, empatia, equilíbrio, capacidade de nos comunicarmos com êxito, a coragem de reconhecer fraquezas e de respeitar diferenças.

Inteligência espiritual: é a nossa consciência, nosso sentimento de participação e de significado.

O desenvolvimento desses 4 tipos de inteligência aumenta a capacidade de influenciar outras pessoas. Por isso, é característica comum e marcante nos grandes líderes, nos grandes realizadores, nas pessoas que se destacam em suas atividades. E o desenvolvimento dessas inteligências é manifesto pela visão, a disciplina, a paixão e a consciência.

A visão é a criação, a representação mental de uma situação futura; enxergar o futuro mentalmente, vislumbrando objetivos e planos; é perceber o “potencial invisível” de outras pessoas.

A disciplina é um sacrifício pessoal ao longo do processo de busca de um objetivo de longo prazo; é fazer o que é necessário para concretizar o que foi planejado; é manter o foco; característica comum às pessoas bem-sucedidas.

A paixão é o otimismo, a empolgação, o entusiasmo, a determinação que se emprega naquilo que se faz. O segredo é descobrir seus talentos e seu propósito no mundo.

A consciência é um senso moral interior, um princípio universal que independe de religião, cultura ou origem. É um conjunto de valores, de sentimentos de justiça, sinceridade, respeito e contribuição.

Reconhecer, desenvolver e integrar os 4 tipos de inteligência, manifestando-as por meio da visão, da disciplina, da paixão e da consciência é a forma de expressar a sua voz interior. Ao trabalhador da era do conhecimento, isso é fundamental.

Repetindo as perguntas…

Quem é você? qual a sua essência? o que diz a sua voz interior? qual a sua contribuição para as outras pessoas?

Com o lançamento do livro O 8º Hábito: da eficácia à grandeza, Covey não trás, simplesmente, mais um hábito para se somar aos outros sete. Ele aponta uma nova dimensão. Afirma que, no mundo de hoje, ser eficaz já não é suficiente. É o mínimo exigido.  É preciso atingir os níveis mais elevados do intelecto e da motivação humana. Liderar com excelência exige grandeza, exige uma nova atitude mental, um novo hábito:

“Encontrar a própria voz interior e inspirar as pessoas a encontrarem as delas”. _ Stephen Covey

Trazendo a questão para o mundo dos negócios…

Uma organização, uma empresa, não é uma entidade isolada. É um conjunto de pessoas com propósitos comuns. Sendo assim, o comportamento organizacional será determinado pela natureza humana, pela sinergia entre seus componentes. O potencial da organização depende da liberação do potencial interior das pessoas. O potencial da empresa é a soma dos potenciais de sua equipe.

Se você é um líder, com cargo formal ou não, inspire as pessoas a encontrarem a sua voz interior. Essa é a essência da nova liderança: contribuição.

“Liderar é comunicar às pessoas o seu valor e o seu potencial de uma forma tão clara que elas acabem por enxergá-los em si mesmas” _ Stephen Covey

Esse foi o meu despertar, o que tem moldado o Mindset Frasson: A realização pessoal por meio da evolução e da contribuição . Como tenho dito, aprende mais quem ensina e contribui mais quem aprende ensinando.

“Crescemos mais quando nos doamos aos outros” _ Stephen Covey

Para o Covey, esse milênio se tornará a era da sabedoria, seja pela força das circunstâncias (que tornam as pessoas humildes), seja pela força da consciência. Nessa nova era, informação e conhecimento devem estar impregnados de propósitos e princípios.

“É ao tomar consciência das necessidades humanas à nossa volta e ao servi-los que encontramos a nossa voz na vida”. _ Stephen Covey

***************

Leia também: Realização pessoal e profissional

***************

Meu nome é Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson