Por que a sua vida não sai do lugar?

Se você, como muitas pessoas, tem a sensação de que, por mais que se esforce, nada acontece, esse artigo é pra você.

Realização pessoal, satisfação, alegria, prazer, felicidade, plenitude, são anseios naturais de todo ser humano.

Tudo o que fazemos, no fundo, fazemos com o intuito de nos sentirmos bem, de atendermos nossas necessidades e alcançarmos essas sensações.

No entanto, temos uma existência complexa e uma gama muito variada de necessidades e desejos. Temos necessidades físicas, emocionais, racionais e espirituais.

Segundo Stephen Covey, a natureza humana pode ser dividida em quatro esferas: corpo, mente, coração e espírito. E cada uma dessas esferas gera necessidades específicas: necessidade de sobreviver, de nos sentirmos seguros, protegidos, bem de saúde; necessidade de aprender, de compreender, de evoluir; necessidade de nos relacionarmos com outras pessoas, de amar e ser amado, de nos sentirmos queridos; e necessidade de deixar um legado, de sermos lembrados, de nos conectarmos com o mundo, com o universo, com a natureza, com a religiosidade.

Atender todas essas necessidades, em um mundo que exige cada vez mais de nós, tem levado muitas pessoas a viver como num labirinto, andando de um lado para o outro, sem encontrar a saída, ou como um cachorro, correndo atrás do próprio rabo. Entramos no piloto automático, ocupados na maior parte do tempo, canalizando nossa energia apenas para a manutenção da rotina. Você acorda, trabalha, dorme, acorda, trabalha, dorme, acorda e tem a sensação de que a sua vida não sai do lugar.

Vamos refletir sobre alguns fatores que nos levam a esse “lugar nenhum”, a essa repetição do status quo:

A maior parte do nosso aprendizado, ao longo da vida, vem da observação e da reprodução do comportamento das pessoas ao nosso redor.

A forma como percebemos as coisas, nosso padrão de interpretação, nossa personalidade, nossos valores, nossa cultura, nossas crenças e nosso mindset foram construídos, pouco a pouco, de modo subconsciente, subjetivo e involuntário.

A maneira como fomos criados, as amizades que tivemos, os lugares que frequentamos, o círculo social com o qual interagimos influenciam, sobremaneira, em nosso modo de pensar, de sentir e de agir. E são os nossos pensamentos, nossos sentimentos e as nossas ações que determinam os nossos resultados, aquilo que conquistamos, a vida que levamos.

Logo, ao repetir aquilo que você absorve de seu ambiente, seus resultados tendem as ser muito semelhantes aos que tem presenciado. É como disse Albert Einstein:

“insanidade é continuar fazendo sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes”.

Como eu disse no início desse artigo, se você, como muitas pessoas, tem a sensação de que, por mais que se esforce, nada acontece, esse artigo é pra você. Mas nada do que eu disser fará qualquer diferença se você não estiver consciente de 3 fatores essenciais para mudar a sua vida (para melhor, é claro!).

Fatores para alavancar a sua vida

  1. Aprendizado: capacidade é algo que se aprende. Nascemos sem saber coisa alguma. Os resultados que você AINDA não tem são frutos do que você AINDA não sabe (mas pode aprender!).
  2. Responsabilidade: você é o único responsável pelos seus resultados, pela vida que você leva. Pare de culpar o governo, a sociedade, o seu vizinho, o seu chefe, o seu marido ou a sua esposa, os seus filhos, a sua sogra. Existem muitos fatores que não estão sob seu controle, é verdade, mas, ainda assim, a maneira como você vai lidar com os desafios é responsabilidade sua. Uma famosa frase, atribuída ao filósofo Jean Paul Sartre diz: “não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você.”.
  3. Decisão: como disse Anthony Robbins, considerado por muitos como o maior coach da atualidade, “é nos momentos de decisão que o seu destino é traçado”. E não se trata apenas de grandes decisões, mas de cada pequena decisão que você toma no dia a dia; se você levanta às 6h ou às 7h da manhã, se você lê algumas páginas de um livro por dia ou não, se você assiste TV ou uma videoaula, se você anda de cabeça baixa ou olhando no horizonte, se sorri para as pessoas ou não, se cumprimenta os colegas de trabalho ou não, se busca novos aprendizados ou não, se aceita feedbacks como oportunidades de crescimento pessoal ou não, se cuida de sua aparência ou não, e assim por diante. Os rumos de sua vida dependem das suas decisões.

 Por que a sua vida não sai do lugar?

Muito provavelmente, eu não conheça você. Mas estou certo de que se a pergunta acima faz sentido em sua vida, algum dos fatores abaixo também fará, e explicará porque sua vida não sai do lugar.

Falta de clareza: como disse Lewis Carroll, autor do livro “Alice no País das Maravilhas”, “se você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve”. A falta de autoconhecimento (clareza sobre si mesmo), sobre seus propósitos, seus valores, seus objetivos, seus sonhos, suas capacidades e dificuldades, leva à estagnação.

Crenças Limitantes: tudo aquilo em que você acredita,  e que limitam sua coragem, sua disposição, suas atitudes, seu comportamento, suas capacidades e, por consequência, seus resultados.

Procrastinação: o hábito de adiar o que precisa ser feito, seja por falta de vontade, por falta de coragem, por achar difícil ou por qualquer outra razão.

Autossabotagem: pensamentos, palavras e ações, conscientes ou inconscientes, que desviam você dos seus objetivos, sabotando a si mesmo.

Vitimismo: julgar-se sempre como vítima das circunstâncias, como se tudo o que acontece de ruim tivesse o claro objetivo de prejudicar você.

Pessimismo e ceticismo: ser pessimista (esperar sempre o pior resultado das coisas) ou cético (duvidar de tudo; não acreditar em nada) provocam desgaste, sugam sua energia e a de todos a sua volta e provocam todos os fatores acima.

 

Assuma o controle da sua vida!

Acredite mais em si mesmo, nas pessoas e nas possibilidades!

Busque o autoconhecimento!

Busque continuamente o aprendizado e a evolução!

Seja a melhor versão de si mesmo, todos os dias!

 

Clique aqui e veja também:

Como o coaching pode ajudar você a atingir seus objetivos

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frassoncontato Fabio Frasson

Curta a página @mindsetfrasson no Facebook

facebook @mindsetfrasson

Assine o canal mindsetfrasson no Youtube

youtube mindsetfrasson

 

Pare de procrastinar!

Você tem sonhos, objetivos, metas para sua vida pessoal e profissional? Então pare de procrastinar! Comece a agir, agora!

“Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje”

_ autor desconhecido

O que é procrastinação?

Segundo o Dicionário Online de Português, procrastinar significa “adiar, deixar alguma coisa para depois”, algo muito comum entre as pessoas, e que gera muitos prejuízos.

Por que procrastinamos?

É claro que há diversas razões ou causas para a procrastinação. No entanto, podemos apontar como principais:

falta de consequência imediata: adiar a realização de uma tarefa não causará problemas agora, as consequências virão depois;

impulsividade: a busca pelo beneficio ou satisfação instantânea;

medo ou insegurança: não sentir-se seguro quanto à capacidade de realização da tarefa, medo de errar e causar problemas, medo de ser criticado ou ridicularizado;

aversão à tarefa: atividades consideradas difíceis ou chatas são mais comumente procrastinadas;

distração: muitas tarefas são adiadas por que as pessoas se distraem com outras questões, como a televisão, a internet/rede sociais, etc., desperdiçando o tempo;

falta de motivação: não estar motivado para realizar aquela tarefa.

Quais as consequências da procrastinação?

Procrastinamos, tanto tarefas simples, quanto complexas. Da limpeza da mesa de trabalho ou a arrumação do quarto, aos grandes projetos da vida. O tempo vai passando, passando, e sempre surge uma desculpa, com ar de justificativa, e vamos empurrando com a barriga.

A procrastinação, muitas vezes, gera um sentimento de culpa pela falta de resultado. Mas, ainda assim, o que foi deixado de ontem para hoje, acaba ficando para amanhã ou para a próxima semana, ou para o próximo mês, para quando sobrar um tempinho, quando sobrar dinheiro, quando tiver conseguido isso ou aquilo…, enfim, para depois de alguma coisa que nunca chega.

É fato que, de acordo com a natureza da tarefa, maior é a probabilidade de que seja deixada para depois. Atividades importantes, mas não urgentes, ou cujos benefícios não são imediatos, tendem a ser procrastinadas com mais frequência, ao contrário do que ocorre com as atividades mais fáceis e divertidas.

A procrastinação no trabalho reduz a produtividade, a eficiência, a agilidade, a qualidade da prestação de serviço, a competitividade e, por fim, a lucratividade.

No âmbito pessoal, procrastinar o desenvolvimento e a implementação de projetos de vida faz com que grande parte das pessoas sintam-se ansiosas, angustiadas, frustradas, estagnadas e estressadas. Ou seja, a procrastinação pode afetar severamente a sua saúde. Dores de cabeça, dores de estômago, entre outros problemas derivados da queda da imunidade provocada pelo estresse, são algumas das consequências.

Segundo Leandro Piccini, professor especialista em aprendizagem, a procrastinação é diferente da preguiça. Segundo ele, “por trás da procrastinação há um desejo de fazer algo, mas que é vencido pelo desejo de fazer outra coisa. Enquanto a preguiça nem gera um desejo, o preguiçoso não quer fazer nada”.

No artigo Será que é óbvio?, publicado em 10/11/17, relatei a procrastinação do meu sonho de escrever um livro.

Há 10 anos eu tive um sonho: escrever um livro. Poucas razões e muitas desculpas me fizeram adiar as primeiras palavras. Enquanto eu aguardava o melhor momento, os melhores recursos, as maiores certezas, o tempo corria, os anos passavam e tudo continuava no campo da imaginação”.

Por que eu procrastinava? Insegurança quanto aos temas que surgiam em minha cabeça, insegurança quanto ao resultado final da obra e às opiniões das outras pessoas, medo de errar ou não fazer bem feito, desconhecimento sobre as formas de publicação, falta de clareza quanto aos meus propósitos, que hoje me motivam e impulsionam, distrações, substituição por atividades mais fáceis ou urgentes…, e muitas outras razões. Como disse Blaise Pascoal (matemático, físico e filósofo francês) “o coração tem razões que a própria razão desconhece”.

As consequências da procrastinação foram anos de frustração, sentimento de culpa e estagnação; a não realização de um sonho.

Felizmente, tomei a decisão de agir e venci a procrastinação. Coloquei o celular para despertar 1h mais cedo, todos os dias, e comecei a escrever. Ora um parágrafo, ora uma ou duas páginas. De passo em passo, de pouco em pouco, todos os dias, foi acontecendo. Alguns meses depois, e com muito orgulho por ter vencido a procrastinação, posso dizer: Meu livro já é uma realidade: “Será que é óbvio? O poder do atendimento”.

livro Será que é óbvio?

Você tem sonhos? Sabe quais são os seus propósitos? Já estabeleceu os seus objetivos?

Então, o que está esperando? Comece agora a caminhar na direção da sua realização!

PARE DE PROCRASTINAR!

Comece a agir!

Comece a realizar!

***************

Leia também: Propósitos

***************

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson