Propósitos

Você tem propósitos definidos?

Propósitos

Parece-me que, tão complexo quanto definir o que são propósitos, é encontrar alguém que os tenha definido claramente.

Propósito: grande vontade de realizar ou de alcançar alguma coisa; desígno; o que se quer alcançar; aquilo que se busca atingir; objetivo. _ [ ]dicio.com.br

Lembra-se do artigo que escrevi sobre motivação? Se você ainda não leu, o convido a clicar aqui. Logo no início daquele artigo, eu perguntei: “por que você faz o que faz? O que impulsiona você a realizar suas tarefas diárias, a correr atrás dos seus sonhos e objetivos?”. As respostas a essas perguntas estão ligadas, diretamente, aos seus propósitos de vida, mesmo que você ainda não tenha notado.

Propósito tem a ver com finalidade, com o porquê das coisas. É aquilo que te move, que dá sentido à sua vida, é a sua essência, o que te faz sentir que tudo vale a pena, a sua força interior, aquilo que você realmente deseja realizar, conquistar e se tornar em sua caminhada.

A falta de propósitos claros nos faz sentir como se andássemos em círculos, no meio do deserto; gera tristeza, desânimo, insatisfação e vazio interior. As tarefas realizadas, diariamente, e os resultados alcançados não parecem fazer sentido.

Entender o que nos move, o que nos inspira verdadeiramente, gera motivação, confiança e sentimento de plenitude.

Viver com propósitos é promover um alinhamento de pensamentos, palavras, sentimentos, objetivos e ações. Essa congruência entre o que somos, o que queremos e o que fazemos, nos torna resilientes. Enfrentamos momentos difíceis com mais energia, visando alcançar o que projetamos. Ou, nas palavras da Endeavor Brasil _ organização global, sem fins lucrativos, que tem a missão de multiplicar o poder de transformação do empreendedor brasileiro:

  “ter um propósito claro na vida é saber aonde se quer chegar e, sobretudo, dispor da energia necessária para enfrentar a trajetória que, certamente, não será fácil”.

Quer saber mais sobre resiliência? Clique aqui!

Um estudo realizado por Patrick Hill, da Universidade de Carleton, no Canadá, concluiu que viver com propósitos definidos pode, inclusive, aumentar a nossa longevidade.

Encontrar uma direção na vida e definir vários objetivos abrangentes, no sentido daquilo que queremos atingir, pode ajudar-nos a viver mais tempo, independentemente da idade em que descobrimos o nosso propósito”. – Patrick Hill

No dia a dia, costumamos distinguir a vida pessoal da vida profissional. No entanto, como bem sabemos, não temos duas vidas paralelas, uma em casa e outra no trabalho. Somos únicos. Apenas representamos diversos papéis, em cada ambiente. No entanto, é impossível dissociar, verdadeiramente, nossos papéis de pai, de filho, de amigo, de vizinho, de colega de trabalho, de gestor, de colaborador, de profissional e tantos outros, daquilo que somos. É preciso que haja congruência, equilíbrio. É preciso que nosso trabalho faça parte da busca por nossos objetivos pessoais e esteja alinhado aos nossos propósitos e aos nossos valores.

A felicidade está na busca por uma vida plena, coerente com o que somos e com o que buscamos. Seus propósitos são seus objetivos essenciais.

Como encontrar os seus propósitos?

Não existe receita ou fórmula mágica. Reflita! Pense em quem você realmente é, como é a sua personalidade, seus gostos, a forma como se relaciona com as pessoas, os seus talentos, as suas qualidades e limitações, seus pontos fortes e fracos. O que você almeja se tornar, como indivíduo e como profissional, o que deseja fazer da sua vida? Se dinheiro não fosse mais necessário, se a falta dele não fosse um problema, o que você faria? Que caminho trilharia?

As respostas a essas perguntas são apenas o seu ponto de partida. Mas tenho certeza de que essa será a viagem mais fantástica da sua vida!

***************

Leia também: Pare de procrastinar!

**************

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

 

Fabio Frasson

Resiliência: resistência e superação

Você é resiliente?

O quanto você é capaz de resistir à pressão, de enfrentar desafios e adversidades, de superar obstáculos e, ainda, aprender e se fortalecer com tudo isso? Qual a sua capacidade de adaptação frente às mudanças?

Todos nós passamos por momentos desafiadores ao longo da vida. Seja em casa ou no trabalho, muitas são as situações em que você é forçado a superar obstáculos, a resolver problemas, a enfrentar conflitos e seguir em frente.

A capacidade de passar por tudo isso sem sucumbir ao medo, ao fracasso, à dor, à tristeza, às doenças e a outras limitações, é o que chamamos de resiliência.

O termo resiliência é oriundo da física, e significa a propriedade de um corpo de recuperar a sua forma original após sofrer choque ou deformação.

Trazido para a área do comportamento, dizemos que um indivíduo é resiliente quando é capaz de lidar com seus problemas, de enfrentar crises e perdas, de tomar decisões, de aguentar a pressão, de adaptar-se às mudanças, de agir com equilíbrio em situações de conflito, de lidar com as adversidades, aprendendo e tornando-se mais forte.

resiliência

É importante frisar que resiliência não é uma característica que uma pessoa tem ou não tem. É uma capacidade que pode ser aprendida e desenvolvida. De fato, todos os nossos aprendizados e experiências moldam nossas capacidades, inclusive a de ser resiliente.

Na medida em que você adquire conhecimentos, desenvolve habilidades, aprende com suas experiências, observa e absorve as experiências de outras pessoas, compreende as relações de causa e consequência dos mais diversos fatos, torna-se mais preparado, mais forte, mais evoluído.

Ainda assim, como seres humanos, estamos sujeitos a cometer falhas, a errar, fraquejar. Podemos apresentar alto nível de resiliência na maior parte das situações, mas sentir dificuldade em alguns momentos. Você já deve ter passado por isso; ter se descontrolado diante de um problema, se exaltado, tido alguma reação, aparentemente, desproporcional, da qual se arrependeu depois. Isso é normal! O importante é estar alerta, é entender e perceber que é preciso retomar o equilíbrio e reunir os recursos necessários para enfrentar aquela situação. A autoconsciência é fator fundamental para desenvolver sua resiliência.

Pense em uma pessoa que sofre um acidente e acaba perdendo os movimentos das pernas. Certamente, deve ser uma situação desesperadora. Algo que ninguém desejaria passar e com o qual nunca aprendeu a lidar. A revolta, a tristeza, o desânimo, e muitos outros sentimentos ruins devem atingir esse indivíduo com muita força. Apesar disso, muitos são os casos de superação. Muitos são aqueles que se apoiam nessa dor para criar projetos que visam ajudar outras pessoas que passam por situações semelhantes. Muitos lutam pela conscientização quanto às causas dos acidentes, com o intuito de evitá-los. Alguns se tornam esportistas paralímpicos, outros encontram uma nova forma de viver, com os recursos disponíveis. Ou seja, ninguém consegue ser forte o tempo todo. Ser resiliente não é ser um super-homem, mas utilizar seus recursos internos para suportar, superar e adaptar-se às situações, aprendendo com elas e tornando-se mais forte e preparado para os próximos desafios.

Portanto, quando você estiver em meio a uma situação de conflito, de problemas ou de mudanças, reflita: que recursos eu tenho e que recursos me faltam para enfrentar esta situação? O que eu posso aprender com tudo isso? Como essa experiência pode me tornar mais preparado para a vida, seja do ponto de vista pessoal, seja profissional? As respostas virão e o “músculo” da resiliência ficará, cada vez, mais forte.

Desenvolva um mindset progressivo! Aprenda, evolua, torne-se cada dia mais resiliente!

***************

Leia também: Crenças limitantes

***************

Eu sou Fabio Frasson. Espero ter contribuído com seu caminhar. Desejo a você resultados extraordinários e muito sucesso!

Vamos juntos, evoluindo sempre! Até a próxima!

Fabio Frasson